02/12/10

Mudança

.
Escondeu-se das explicações,
Domesticou cada lágrima,
Só o silêncio ouvia o seu sorriso,
Fez do nada uma nova arte.
.
O inexplicável encontrou novas explicações,
As lágrimas ganharam novas cores,
O eco do sorriso envergonhou o silêncio,
Tudo é arte.
.
Permitiu-se mudar.
.






(voz de @vilmacorreia)

20 comentários:

Anónimo disse...

Tinha asas mas queria que ela voasse ao seu encontro...

@monicacompoesia

isabel maria disse...

A mudança é um passo de inteligência.Nas asas da vida temos de aprender a voar para um porto seguro.
Muito bom!
A continuar,sff.

RosaMaria disse...

Perfeito pro meu dia de hoje!

Eu me permito mudar!!!

Adorei Ruy!

bjus bjus

AnaRuth disse...

Muito bom teu texto!
O que eu precisava ler...

Andrea Diegues disse...

Condensaste neste poema toda uma resolução pessoal, uma tomada de posição, um passado, um presente.
Excelente. A vida escondida entre as palavras.
Forte abraço.

FexArt disse...

Sempre fantástico, poema e desenho! parabéns! beijos

Unknown one disse...

Ninguém pode não lucrar com a mudança :) Gostei...

Manuel Pintor disse...

De asas é o sorriso
que em cada gota de chuva
pinta o arco-íris
Ao silêncio se permite
ouvir-se em novas cores
as lágrimas que lhe sorriem
vozes voando caladas
canções
em orvalho dedilhadas

Abraço, Ruy!

Rosa Barros disse...

Este é o meu lema atual!!
Mudar e mudar para melhor!!
Adorei o texto e a ilustração está maravilhosa!
Parabéns Rui!!
Beijins!!

Augusto Barros disse...

Lindo texto...precisamos mesmo transformar nossas melancolias!

Tatiana Kielberman disse...

Caro Ruy,

Li poucas poesias que traduzissem tão bem um processo de mudança como esta que você nos trouxe hoje!

Linda, direta e extremamente sensível!

Mudar é preciso... mudar é obrigatório!

Beijos, querido!

Maelo disse...

Como viver sem o brilho da natureza?
Sem o bom do ser.

maragitado disse...

Ah, meu caro Ruy, como eu gosto de o ler.
Só agora o pude fazer.
Vou deitar-me com o eco das suas palavras.
Obrigada, mais uma vez, por me deixar dar uma espreitadela nesse coração lindo.
Abraço apertado

Ana Marques disse...

Domesticou a necessidade
de permanecer estática
perdida em conexões
há muito abandonadas...

riscou as histórias passadas
para criar uma nova história.

Sendo amor,
amor tornou-se.
Mas amor novo
desses que achamos
sempre diferente
a cada sorriso
igual.

Adorei o texto, Ruy.
Lindo, como sempre.

Tili Oliveira disse...

Infinitesimamente belo! Palavras são poucas, para as poucas e belas palavras deste meu amigo de além-mar. Ruy, você é um encantador de serpentes. Adoro! (comentário divulgado no Facebook).Não resisti - hehehe

Jééh disse...

Lindo texto e ilustração [+1]

percebeu que seguir em frente não doí

OBG pelas lindas palavras Ruy :*

Helinha disse...

Tão lindo tudo por aqui...

E tudo quer dizer tudo mesmo!

Nem dá vontade de ir embora, fico lendo tudo... apreciando as ilustrações... rs

Acho que vou permitir-me mudar pra cá... rs

Beijos!!

Deny disse...

Até o mais profundo silêncio nos traz inspirações incríveis.

E tudo nesta vida pode se transformar em arte, simplesmente tudo!

Além do que, acabei de ler pura arte!

Parabéns!

Suzana Martins disse...

Tinha asas. Voava.
Pairava em versos.
Tinha asas. Versos e sílabas incompletas.
Palavras que completavam as asas e asas que complementavam as palavras...

Beijos

elisabeth disse...

"...domesticar as lágrimas",tão difícil!lindo Ruy!
abç Elisabeth