09/03/10

Esta Noite


Esta noite...
Não consigo ver o teu rosto nos meus pensamentos,
Nas minhas memórias...
Peço ajuda à tua música preferida,
Mas...
Nem assim te consigo ver.
Perdi-te?
.
A porta do quarto abre-se,
Desligo a música,
Pouso a caneta.
Já não preciso delas.
.
Agarro-te com as duas mãos...
Tive saudade tuas,
Esperança.









(voz de @vilmacorreia)

10 comentários:

isv13 disse...

'brigada Ruy, do fundo do coração, obrigada.

Ruy Barros disse...

Esta é a minha mensagem de Esperança para todos/as que ainda acreditam em qualquer coisa.

Ana disse...

(oh pra mim com um sorriso à tua conta! --> :) )

Andrea Diegues disse...

...é bonito poder acreditar-se...o vazio corrompe a saudade e abre espaços de profunda tristeza. A saudade...poderá sempre traduzir-se em esperança.

Rosario disse...

É bom quando ainda se tem esperança ... por vezes tenho dificuldade em a encontrar. Gosto da maneira como escreves! :)

lilidacal disse...

Eu acredito sempre em alguma coisa...o problema é que nunca a encontro:)

Manuel Pintor disse...

Quando se nos desvanecem as memórias
E já nada vemos ao longe
Nem perto
Num aperto
Mais nada interessa
Nada serve
Nada nos desperta

Quando já a voz se cala
E a caneta jaz

Salva-nos a Esperança
Que num só abraço
A poesia renasce

Jééh disse...

OBG, essas poucas linhas foram de tirar o folêgo, eu nem se quer imaginava a presença desse personagem tão lindo ^^

Rita Schultz disse...

A sua sensibilidade, o simples, o belo, o verso, a verdade mais singela... A alma da gente grita um som terno e suave que atravessa os ares e chega ao coração do mundo, assim, simples, assim bom, para que este mesmo mundo seja melhor e mais humano! É difícil! Mas a gente não desiste! E a poesia ainda respira!
Abraços, Ruy.

Anónimo disse...

We become what we believe. I know that for sure. :-)