15/05/12

Ausência

Agora que a noite mergulha em mim,
Que a ausência da tua presença está diante dos meus olhos,
Que o silêncio foi vencido sem misericórdia pelos acordes da tua alma.

Agora...
Neste momento...
Quero que saibas...
Que sintas...

Penso em ti.

10 comentários:

MARAGITADO disse...

"Agora" e sempre, a vida é feita de ausências, e haverá pior ausência do que a ausência/presença?
Saiba que senti a sua ausência.
Adorei este "reencontro".
Um abraço/ponte a preencher a ausência.

Luzia Medeiros disse...

Que lindo. Esse sentir, esse pensar tão forte, tão verdadeiro. Sentimentos assim, nos enche o coração de alegria.

Gostei muito daqui. Seguindo.

http://luzia-medeiros.blogspot.com.br/

Tatiana Kielberman disse...

Lindíssimo, Ruy querido... ^^

Me lembrou um certo alguém!

Beijo grande, saudade de seus escritos!!

Rita Schultz disse...

Ausência tão viva quanto o ruído do mar, tão certa quanto as lamentações do vento.
Mas ‘encostarás a tua face em outra face’ e mergulharás no silêncio longo, tal como fazem as estrelas faiscantes do céu.

Estava com saudades dos seus poemas.
Um beijo!

Thiago Peixoto disse...

Nossa, se superou nessa poesia, está linda, parabéns!!!!

Tili Oliveira disse...

Palavras como essas iluminam a alma da gente como estrelas repentinas num céu soturno. Parabéns querido!

Suzana Martins disse...

o mais belo sentir...

Lindo

Beijos

RosaMaria disse...

Ruy meu amigo, que belos versos.

O que seria da poesia sem o sentir?
O que seria do sentir sem a poesia?


Beijos meus! Se cuida.

Karine Tavares disse...

Teu blog é lindo, parabéns!

Vem conhecer o meu:
leiakarine.blogspot.com

Joana Masen disse...

Ruy, eu adoro seu blog!
Tudo aqui é tão lindo: seus desenhos, seus poemas, dá pra ver que vêm do coração.
Estou sempre por aqui, bebendo suas belas palavras e encantando meus olhos com seus traços.
Abraço!