14/04/10

Neste Momento


Sinto vontade de dar um murro,
Na distância que nos separa.
Deitar por terra,
Esse profano obstáculo.
.
Partilhar contigo,
A Vida.
.
Revelar ao mundo,
O mais sagrado, dos meus segredos...
Tu.

(texto elaborado como resposta ao desafio "Sagrado, Profano")

13 comentários:

isabel maria disse...

A evolução poética é evidente e abre-se um caminho fantástico para um novo Poeta.
Parabéns!

isv13 disse...

A distância consegue ser uma das coisas mais cruéis de aguentar. Gostei da simplicidade profana do texto, compatriota. As viagens ao nosso planeta têm-te dado boa inspiração ;-)

Keyla Galvão disse...

Arrepiei-me por me identificar com o personagem. Como se já o houvesse encontrado antes... Vamos rezar pelo moço. Que ele saiba o que fazer com tanto segredos num mundo nada secreto.
Mais uma vez, belas palavras querido.
Parabéns!!

Lee disse...

Apetece-me dar um murro na distância que nos separa... Nada podia expressar mais sinceridade, nada podia ser tão claro... :) Adorei, parabens mais uma vez pelo brilhantismo com que escreves!

Anónimo disse...

Na simplicidade das palavras a profundidade dos sentimentos.
Fez-se poesia.
Parabéns!

LeoMahlerBR disse...

Bravo! Me sinto fortemente identificado com o personagem, seu texto disse o que eu não tenho como dizer. Esses versos me tocam profundamente.
Belas palavras, parabéns!

Rita Schultz disse...

Esmurres o profano obstáculo e deites na terra, tu e o sagrado corpo que tanto desejas!

Andrea Diegues disse...

Os segredos são beijos, são confidências, são juras.

Esse Tu, esse segredo guardado no fundo da alma, nas entranhas do mais sagrado desejo, merece o murro prometido.

redoma-de-cristal disse...

Ultimamente parece que me leio por aqui.
Sinto a mesma frustação. Queria acabar com a distancia.

"Revelar ao mundo,
O mais sagrado, dos meus segredos..."

Era tudo o que eu queria.

Obrigada por me mostrar.
Mais uma bela poesia.

Beijo

Anónimo disse...

( )

Jééh disse...

a simplicidade que apresenta sentimentos tão díficies como a 'saudade' é profudamente encantadora. mais um ótimo texto que encontro aqui *--*

Manuel Pintor disse...

Uma vontade profana
além-humana
Uma partilha sagrada
desejada
revelada

Deitada na terra
Tu
segredar-me-ás a Vida

Anónimo disse...

Quanto sentimento lindo, cultivado aqui...