19/10/10

Moreninha


Encontrei-a ali...
Sempre que quer escrever, ela pega num caderno cheio de folhas de esperança, e parecendo caminhar sob as nuvens, atravessa o Bosque dos Suspiros, até chegar às margens do Riacho Doce.
Ela já fez esse percurso tantas vezes, que agora conhece cada árvore do Bosque pelo nome... isto é, o nome que ela achou, que cada árvore deveria ter.
Ela passa pelo Fábio, a Maria, o Daniel, a Julieta... a Julieta é uma árvore Mogno tão alta, mas tão alta, que quase é impossível alcançar o seu topo com os nossos olhos... mas a árvore preferida dela, é sem dúvida, o Camilo.
O Camilo é um velho Plátano que repousa nas margens do Riacho Doce... Camilo não é a árvore mais bonita do Bosque dos Suspiros, nem a mais robusta, mas é com certeza, a mais aconchegante.
Ela adora sentar-se na margem do riacho, mergulhar os pés e apoiar as suas costas no velho Camilo, enquanto escreve... foi assim que eu a encontrei, na primeira vez que a vi.
Aquilo que ela escreve é tão bonito e delicado, que quem tem a sorte de a ler, vive um pouco mais feliz.
Mas ela é modesta, e com sentido de humor, por isso ela atribui os méritos dos seus escritos aos pequenos seres vivos que habitam no Riacho Doce... sim, ela diz que são os peixes, que lhe ditam o que ela deve escrever; “Eles tocam nos meus pés em código morse, depois é fácil... quando os peixes não aparecem, é a Brisa que me sopra aos ouvidos, aquilo que devo escrever.” - costuma dizer ela, sorrindo.
Hoje, finalmente, ganhei coragem e perguntei-lhe onde vai ela buscar a inspiração, quando nem os peixes, nem a Brisa aparecem; “Fácil...” - respondeu-me ela; “Penso em ti.”.





(voz de @vilmacorreia)
(Dedicado a Rita Shultz)

14 comentários:

Manuel Pintor disse...

Moreninha,
Mistral quando escreve
Vento que fala nas folhas das árvores
Sussurra
Brisa que lê o morse dos peixes
Natureza que se inspira
Eco-andando nesse rio em raízes
nos fazemos mais felizes

Grande abraço, Ruy!

isabel maria disse...

Uma história de sensibilidade das palavras que não se dizem mas que se sentem , até na ausência do amado.
A personificação está divinal!
Parabéns!
(a continuar,sff)

maragitado disse...

E o seu coração é, com toda a certeza, a nascente do Riacho Doce de que aqui fala.
Obrigada por me ter dado o privilégio de dar uma olhadinha nessas mansas e doces águas azuis.

teresabcoelho disse...

Obrigada Ruy :) Que bom descobrir em ti algo dessa tua 'moreninha'...
Fico mais feliz cada vez q leio um dos teus lindos textos... :)
Parabéns!

Tili Oliveira disse...

Por trás de uma moreninha feliz, há sempre um belo e carinhoso moreno a acariciar-lhe os ombros cansados. Na verdade, toda a sua inspiração lhe vem desse toque.
Beijos de estrelas pra ti!

giselle disse...

Lindo...

Letras de peixe, de riacho, de ti...doces

Bjs

Giselle Zamboni

Vilma disse...

Pude passear neste belo Bosque, sentar-me junto a árvore aconchegante, refrescar os meus pés nas águas límpidas e encontrar descanso para a minha alma.
Agradeço ao Ruy, porque com os seus belos textos, nos mostra a poesia que tem dentro de si, e ainda por cima, dar-me o privilégio de colocar estes textos em voz!
É um prazer e uma honra! :))
Abraço amigo!

Rita Schultz disse...

hoje a minha alma ecoa um som terno que atravessa o ar e vem ao coração, assim simples, assim bom para que tudo seja mais humano, e a gente não desista.
hoje o meu coração agradecido foi depressa e devagar e, finalmente, transformou-se numa tamanha confusão, numa tamanha alegria que parece impossível terminar!
e isso, porque um amigo trouxe-me uma canção que me soou como a chuva fina numa vidraça, como a um vento leve no alto do arvoredo, como a uma fonte de água brotando na imensidão das serras e das nascentes.
Um livro!
E eu sempre acreditei que houvesse poesia em teus dedos.
Inclino-me à tua gentileza, meu amigo!
Seja a vida um motivo desfolhado, se ela quiser! Mas tu, poeta, sejas no teu rumo, eterna luz e paz!
A ti, o meu carinho.

Lu MiLanoV disse...

Que lindo!!!

Roberta disse...

Que delicadeza... Lindo!

Rosa Barrros disse...

Ruy, vejo aqui a beleza e suavidade de sua alma. A delicadeza, a harmonia e o encanto dessas linhas. A beleza em todas as suas formas estao presentes aqui, em seu texto e nos comentários, todos acariciados e encantados com essa "Moreninha". Um dos mais bonitos textos que li de sua autoria. Cada vez mais você se faz um poeta e desenhista.
Bela homenagem!
Grata pela sensação de encando e paz.
Querido Ruy, beijos e parabéns!!

Ana Marques disse...

Doce é a sinceridade de quem busca o riacho doce para escrever...

e de quem vai buscar a musa no bosque dos suspiros.

Como aquele filme da Disney, sinto-me "encantada".

Beijos

elisabeth disse...

Todos nós deveríamos ter um riacho doce para nos inspirar !assim a vida ficaria mais interessante...não é mesmo!abraços;

elisabeth disse...

Suave e delicado como só os poetas sabem escrever!bom reencontrar este doador de histórias ! abç
Elisabeth